Treinador de boxe de campeões do UFC é acusado de estupro por duas atletas

Duas atletas, promessas do boxe brasileiro, acusam o treinador de grandes estrelas do MMA de estupro. Elas faziam parte do projeto social dos lutadores Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro, o Instituto Irmãos Nogueira, que ajuda crianças e adolescentes carentes do Rio através do esporte. Na denúncia exibida neste domingo no “Fantástico”, as jovens afirmaram que seu algoz é Erivan Ribeiro Conceição, conhecido no mundo das lutas por treinar, entre outros, Anderson Silva, Júnior Cigano, e os irmãos criadores do projeto.

— Todas as vezes que eu saía do treino, ele arrumava um jeito de falar que ele iria me levar para casa. E fazia o que ele tinha que fazer. Os estupros, as ameaças, puxava meu cabelo, me xingava — afirmou uma das atletas, que preferiu não se identificar.

A outra aspirante a boxeadora lembra que Erivan a obrigou a fazer sexo com ele e sua mulher, Lóren Santana.

— Foram os dois. E eu estava sozinha. Eu falei, “vão me matar” — disse a moça, que entrou em depressão: — Era difícil eu pensar no que estava acontecendo. Se eu pensasse eu já queria me matar, me mutilar. Foi o que aconteceu muitas vezes. Meus pais cansaram de me levar para o hospital.

As duas meninas entraram para o projeto em 2013, com 13 e 14 anos. Entre 2015 e 2016, a dupla começou a se destacar — uma delas chegou a ser comparada a Ronda Rousey, ex-campeã do UFC — e foram promovidas à equipe profissional de boxe. Foi quando iniciou o pesadelo: Erivan passou a treiná-las e as ameaçava quando não cediam ao abuso.

— Era tudo à base do: “você não vai treinar se você não fizer”. Como se eu não tivesse escolha. Se eu quisesse ir para a seleção, era só aquela forma de eu ir — relembra a vítima: — Nunca mais vou conseguir olhar para o esporte sem lembrar do que passei. Sem lembrar das coisas que me falava.

Afastado da academia

Além do trauma, Erivan também fez com que as jovens, amigas, rompessem a relação. Tudo para evitar que continuassem confidentes. Só após uma delas voltar a treinar em outra academia é que a amizade foi restabelecida: a dona do lugar já sabia da história de uma delas e, quando percebeu o estresse da outra, principalmente ao fazer certas posições na luta, ligou as situações. As amigas foram juntas à delegacia em fevereiro para prestar queixa.

Erivan foi denunciado pelo Ministério Público e é réu por assédio sexual em uma das acusações. Em um dos casos, a polícia concluiu que houve estupro de vulnerável e encaminhou o inquérito ao MP, que ainda analisa o caso. De acordo com a advogada dele, “os fatos narrados não são verdadeiros. Erivan não praticou crime, e a narrativa é precária de provas e fatos concretos”.

Um dos sócios da academia Team Nogueira, Rogério Minotouro disse que Erivan não faz mais parte da empresa.

— Decidimos afastá-lo. Por ele ter tido esse relacionamento. Não só, né? Pelo caso já ter virado um inquérito na polícia — afirmou.

As vítimas pedem justiça.

— Só quero que ele seja preso. Para conseguir viver em paz — disse uma delas, que está grávida de uma menina: — Ela vai me fazer esquecer tudo que passei.

14/10/2019

(Visited 1 times, 1 visits today)